Google+ Badge

domingo, 29 de dezembro de 2013

LEMBRAI-VOS DE MIM MEUS AMORES E ETERNAS FLORES

         
   Lembrai-vos de mim Amores e eternas flores: porque um dia a maioria de nós, irá separar-se uns dos outros, neste mundo não somos eternos, mas apenas peregrinos a caminho de uma nova Pátria. Vamos sentir saudades. Uns dos outros e das nossas conversas atiradas para fora dos nossos caminhos. Mas as descobertas que fizemos os sonhos que tivemos e os sorrisos belos e lindos que partilhamos, para mim serão eternos.
  Lembrai-vos de mim amores e eternas flores: porque um dia quando eu partir levarei saudades dos momentos de alegrias e tristezas que passamos e das nossas eternas amizades, nada esquecerei, porque o meu amor por vós é eterno nunca acabará, a minha amizade por vós continuará para sempre. Hoje eu tenho a certeza disso, apesar de saber que cada dia que passa é menos um dia da nossa peregrinação na terra, poderemos ir uns para cada lado sermos amigos reais ou virtuais, mas será sempre o meu destino e a minha maneira de ser, sereis eternamente os meus amores e as minhas eternas flores.
   E quando perdemos um dos nossos amores ou uma das nossas eternas flores: são as tristezas que envolvem a nossa alma que está amarguradamente numa dor profunda, ai vai passar dias meses e anos sem nós podermos contactar, mas são coisas da nossa vida, mas um dia nós encontraremos de nova na nova Pátria aonde há harmonia e vida e jamais haverá separação ai passaremos a ser etenos. Vamo-nos perder no tempo, desta nossa peregrinação na terra, mas não nos perderemos na eternidade.
  Lembrai-vos de mim amores e eternas flores: porque um dia os nossos filhos ao verem os meus escritos e as fotografias dirão; eram os amigos a quem o meu pai chamava de eternas flores a quem ele próprio tinha uma profunda amizade. E por fim aqui fica um eterno pedido aos meus amores e eternas flores deste vosso amor e humilde amigo: Não deixeis que a vossa vida passe em branco com as pequenas adversidades da vida e sejam causa de grandes tempestades. Porque eu não poderia suportar tão grande dor e enlouqueceria, se tivessem morrido todos os meus amores e a minhas eternas e doces flores.

 Lembrai-vos de mim Amores e eternas flores
Lembrai-vos de mim amores e eternas flores...
E quando ouvirem o pranto das rosas:
Sou eu a chorar por vós;
E quando nos vossos sonhos,
 Não sentirem a ternura do meu coração.
Quando o silêncio gritar...
Sou eu amores e eternas flores do céu a chamar por vós:
Quando ouvirem um triste fado;
 São os acordes da minha triste solidão.
Lembrai-vos de mim amores e eternas flores...
Quando a noite chegar e o sol se esconder;
Quando ouvirem o pranto da madrugada:
É o eco das minhas saudades.
Quando sentirem na vossa boca o perfume das rosas...
Sou eu amores e eternas flores a morrer;
Quando ouvirem o meu nome:
Esquecei-o que para mim já se fez eternidade.
Lembrai-vos de mim amores e eternas flores...
Quando a minha poesia não gritar os meus lamentos;
Quando as minhas mãos nas vossas arrefecerem:
Sou eu amores e eternas flores a partir.
Quando meus olhos ficarem mudos...
 E apagados de luz sedentos;
 E quando sentirem umas lágrimas:
São lágrimas da minha alma por vós a sorrir.
Lembrai-vos de mim amores e eternas Flores...
Quando de mim nem um poema restar;
E como os meus dedos estão inertes:
Porque se esfumarem nas poesias.
Quando na minha boca se calarem as palavras...
 E eu deixar de sonhar?
Quando sentirem umas lágrimas:
Sou eu que vou partir com as rosas.
Lembrai-vos de mim amores e eternas flores...
Quando ouvirem os meus lamentos:
Quando sentirem no vosso corpo o calor;
 É o calor do meu amor por vós amores e eternas flores.
Quando os vossos olhos chorarem...
Sou eu que vou partir com o vento;
Quando escutarem o silêncio?
Sou eu que estou a sonhar convosco amores e eternas flores.
Lembrai-vos de mim eternas amores e eternas flores...
Quando há noite olharem para a lua: sou eu;
É o meu rosto que vocês vêm!
Envolto num sorriso do meu olhar.
Quando vocês adormecerem...
 Recordem quem por vós se perdeu?
Senti-me nas gotas de chuva:
 Quando a saudade tocar em vós;
Lembrai-vos de mim amores e eternas flores!

Autor: Santa Cruz

Deposito Legal Nº 308606/10